terça-feira, 8 de maio de 2007

Autocrítica

No final do ano passado, pouco antes da "moratória" aos projetos de alteração de zoneamento, houve uma espécie de rixa entre os vereadores Jaime Tonello e Ptolomeu Bittencourt. Filiados ao mesmo partido, o então PFL, eles chamavam atenção pela troca de farpas. Tonello acusava o correligionário de ser rígido demais nos pareceres da comissão que presidia, a de Constituição e Justiça. Também apontava morosidade na análise dos processos na comissão. Bittencourt dizia que no papel de presidente lhe cabia seguir a legislação.

A rixa virou pauta. "Estão sentando em cima dos processos?".

Tonello repetiu o que dizia em plenário.

Bittencourt deixou no ar uma frase de efeito e que depois faria todo sentido:

- É normal que os projetos demorem. Eu estranho os que andam rápido demais.

O repórter anotou a frase, até usou no texto depois, mas parou a entrevista por ali. Bittencourt insistiu:

- Mas com certeza não é isso que eles estão questionando. Não é a demora.
- O que seria, vereador?
- Ah, aí é contigo. A entrevista pára aqui.

Meia hora depois, o vereador liga de volta.

- Eu não tava querendo dizer que sabia de alguma coisa. Eu só quis dizer que não pode ser a demora.

---

Todo mundo sabia de alguma coisa, todo mundo ouviu falar de alguma coisa, todo mundo comentou algo sobre os carros do Juju, sobre favores, propinas, promiscuidades. Todo mundo tinha uma história pra contar ou especular - inclusive nas redações.

Não me conformo com a cara de espanto de todos na quinta-feira, inclusive a minha. Se a PF não arma aquele estardalhaço (ou pirotecnia, como prefere o governador), quanto tempo mais a gente continuaria a escrever matérias sobre "moratória" nas alterações do zoneamento e o novo plano diretor como se fossem coisas sérias - com as devidas aspas do nobre líder do governo?

4 comentários:

Ulysses Dutra disse...

Belo post Upiara!
Realmente a gente ouvia estas histórias cotidianamente e ainda nos espantamos quando tudo veio à tona. Antes tarde do que mais tarde né.
Coloquei teu lembrete sobre o livro do RC lá no Esquerda Festiva e retribuo a gentileza de me linkar.

Um abraço

Bonassoli disse...

E o pior é que isso acontece em Desterro desde tempos imemoriais. Culpados? Muita gente, inclusive nós da tal imprensa.

Mário disse...

O que não me conformo é com certos comentaristas que continuam defendendo esses picaretas. De maneira velada, é claro. Dizem que é necessário "aprofundar as investigações", que é preciso "separar os inocentes dos culpados". Por isso concordo com o Bonassoli. Nós da imprensa também somos culpados. Sempre é possível fazer matérias de assuntos proibidos. É negociar para burlar o sistema.

Anónimo disse...

hahahaha...
meu espanto foi pq nunca achei que os poderos chefões do mercado imobiário iriam cair. Ponto pro ministério público e pra PF.

 
BlogBlogs.Com.Br