terça-feira, 21 de novembro de 2006

Uma espada para LHS

Na movimentada sessão do TRE que absolveu Luiz Henrique das acusações de abuso de poder político e econômico - livrando o governador reeleito do fantasma da inelegibilidade - o anti-climax acabou sendo justamente a leitura do voto do juiz Marcio Luiz Fogaça Vicari, que foi a base para a absolvição. Vicari pediu vistas ao voto do relator José Trindade dos Santos, que na semana passada aceitou a representação dos partidos que apoiavam a candidatura da Esperidião Amin (PP) e pediu a condenação do eleito.

Depois de um hora de citações e jurisprudências e alguns pedidos de desculpas pela demora para a conclusão, Vicari afirmou que embora tenha havido uso indevido dos meios de comunicação em favor de LHS por parte dos jornais filiados à Adjori (Associação dos Jornais do Interior), não era possivel quatificar o quanto isso teria sido decisivo na vitória do peemedebista.

A sessão seguiu e a disputa estava em 3 a 2 a favor de Luiz Henrique quando chegou a hora do voto do juiz Jorge Antonio Maurique. Bem-humorado, ele acompanhou o voto de Vicari e garantiu a vitória dos governistas - mas não perdeu a chance de ironizar o colega ao elogiar.

- Seu voto foi como uma espada. Não por ser grande e chato, mas por ser cortante e preciso.

3 comentários:

Mário disse...

Nada como reuniões fechadas durante o fim de semana. E um pouquinho de barganha...

Anónimo disse...

SÓ PARA SABER.

SERÁ QUE ESSE MAGISTRADO ELEITORAL, MÁRCIO LUIZ FOGAÇA VICARI É O MESMO QUE É ADVOGADO DE ALGUNS FIGURÕES DO PMDB AQUI NO TJ E TAMBEM NO STF?

Anónimo disse...

Diz ai Upiara,

Bom texto, bom blog. Gostei! Vou virar fregues.

Abs.

 
BlogBlogs.Com.Br