quarta-feira, 26 de novembro de 2008

O messias não chegou

A enchente de 1983 destacou a figura do então governador Esperidião Amin, eleito no ano anterior, para a política nacional. Jovem, Amin participou pessoalmente de operações de salvamento e chamou a atenção, a ponto de ter a atuação no episódio lembrada até hoje. 

Até momento, a enchente de 2008 não tem personagem político. Lula demorou a vir, Luiz Henrique parece em se preocupa mais em acalmar os turistas, os pré-candidatos ao governo estadual discursam com os pés limpos. Quem ninguém leia nessa frase uma crítica ou no parágrafo anterior um elogio.

Nada seria mais patético que o governador, já em idade avançada, de galochas ajudando a Defesa Civil em Blumenau. A atuação de Amin em 83 pode ser vista como a de um governante preocupado com o seu povo ou a de um populista querendo visibilidade. Escolham pelas cores que preferirem.

O post é só uma constatação de que nenhum político conseguiu "capitalizar" o desastre, por assim dizer. A menos de dois anos de uma eleição que apresenta cinco candidatos que não entusiasmam, talvez fosse a última chance para um fato novo. Talvez um jovem prefeito de cidade fortemente atingida pela tragédia, recém reeleito em primeiro turno com maioria esmagadora, com os pés sujos de barro. 

Alguém viu João Paulo Kleinünbing?  


Momento 1: Amin ajuda grávida em 1983 (roubada do blog do Carlos Damiao).

Momento 2: Lula vê a enchente quatro dias depois e se supreende quando LHS diz que a água baixou.

4 comentários:

Alexandre Gonçalves disse...

Eu vi o Kleinübing. Não é o caso de dizer que pintou o candidato, mas em todas as entrevistas -- a maioria de capa -- mostrou estar por dentro do problema e não ficou de papinho. Pareceu focado em resolver os problemas. Bem diferente de uns e outros...

Bonassoli disse...

Vi o prefeito de Blumenau ontem, ao vivo, em seu gabinete. Dirigia com maestria uma ampla reunião. Liderava a conversa com tom de quem estava ciente do tamanho do problema que lhe caiu no colo.

Não sou do partido dele (nem de nenhuma outra sigla). Mas o cara demonstrou ter DNA de administrador.

Quanto aos demais citados.. bom, deixa prá lá.

Ana Mari Carvalho disse...

Ai ai Upi, tá tudo bagunçado, tudo degradado e banalizado... Uma pena, não estou aí mas daqui vejo na medida que se faz possível a catástrofe e junto dos meus nangario coisas para tentar mudar o cenário...
Cuida-se.

Anónimo disse...

João Paulo Kleinünbing foi o único político q vi trabalhar na enxente,os outros só iâo p/ a tv.Sempre de capa na xuva trabalhando,tb nau so do partido dele,mas o cara mando bem,tanto q pegou até leptosprose.Vc devia ter perguntado assim: Alguém viu o dário???


Geraldo

 
BlogBlogs.Com.Br